26/06/2009

R.I.P


Deixou nos ontem o cantor Michael Jackson que conforme diz e muito bem o Pedro Ribeiro da Comercial no seu blog Dias úteis "de um homem ligado ao talento imenso mas também a um certo abismo sempre eminente. Ficam as canções, extraordinárias, para lá do resto." que nos anos 80 revolucionou o panorama musical não só com as suas musicas mas também na forma de fazer vídeo clips em que o seu "Thriller" foi sem duvida revolucionário ao ser o 1.º tele disco a contar uma história, e o seu estilo e forma de estar na musica Pop abriram as portas a outros cantores que seguiram um pouco a sua linha como por exemplo o Prince e mais recentemente a cantora Shakira.
Mas juntamente com o seu génio musical tinha também um outro lado mais "cinzento" como a sua vergonha da cor da sua pele e tendo inclusivamente acabado por ficar quase branco e até mesmo o seu cabelo bem "Afro" que ostentava nos Jackson`s Five acabou quase liso como um qualquer Branco normal para alem disso as suas dezenas de operações plásticas que fez e a sua paranóia com a saúde que nem assim o livrou de morrer cedo, mas aquilo que mais deu que falar e lhe custou muitos Milhões da sua fortuna foi os casos que aparecerem com crianças verdadeiros ou apenas para lhe extorquir dinheiro penso que nunca saberemos a 100% a verdade mas que lhe custaram tanto financeiramente como na sua imagem que quase lhe provocaram o final de carreira.
E sei que possivelmente mesmo agora o que mais vai ser falado vai ser os seus problemas e o que ira ser esquecido é aquilo que era mais importante a sua musica, genialidade e originalidade e por tudo isso e pelos bons momentos que pessoalmente me proporcionou a ouvir as suas musicas e os seus álbuns como foi o caso de Thriller, Off The Wall e o Bad e apesar de não ter sido dos meus cantores preferidos não posso deixar de prestar a minha homenagem e o meu lamento pelo seu desaparecimento, e acabo dizendo OBRIGADO MICHAEL.

19/06/2009

A gente vê-se por aí...

Este texto encontrei num blog de um desses sites de conversação e amizade e que aqui de seguida transcrevo contem alguma linguagem algo vernácula que desde já peço desculpas aquelas pessoas mais sensíveis mas que penso que o estado actual das coisas assim nos obriga e depois de ouvirmos o Sr.ª Sócrates em entrevista a SIC a dizer aquela bela frase "Estou muito satisfeito comigo” que penso que com ela diz tudo sobre a pessoa e o seu carácter e a mim pessoalmente me dá vontade de dizer umas quantas asneiras e de o mandar a uns certos sítios.

"Não me F..., ó Zé. Com um país a sangrar, com o desemprego a crescer, com as fábricas a fechar, com alguns portugueses já a passarem fome, com a saúde cada vez mais cara, com a escola cada vez mais difícil, com os mesmos de sempre a pagar os desvarios dos ladrões do costume, como é que tens a lata de vir dizer para os microfones que cometeste alguns erros, nomeadamente, que devias ter dado mais dinheiro à cultura?
É por idiotices, F. P. e hipocrisias dessas que nas últimas eleições os resultados foram o que foram, mas dá-me ideia que do alto da estupidez arrogante de que fazes gala, apesar de ultimamente cada vez que aparece um microfone faças do humilde uma palavra chave e apesar de nós sabermos perfeitamente que de humilde nada tens e não passas de um vaidoso de merda, ainda não digeriste muito bem que a malta está fartinha de ti até à ponta dos cabelos...
Arrepia caminho, pá. Perante este tipo de afirmações, sem te rires, a malta até fica a pensar que estás a falar a sério. Mas não mudes agora que bem sabemos que és um falso e só o fazes porque corres o risco de ser outra vez enxovalhado, sejam quais forem as eleições. A sério, sê homenzinho e vai à tua vida e, já agora, como diria uma amiga, apalpa-me as mamas. É que eu, quando me estão a F..., também gosto que me apalpem as mamas...
Como se diz lá na aldeia, quem te desse com um gato morto nas trombas até ele miar. E isso ao som dos Xutos, "não tenho eira nem beira, mas ainda consigo ver, quem anda na roubalheira e quem me anda a F...". Se até os senhores comendadores conseguem ver isso, qual é a dificuldade?
A gente vê-se por aí..."
Mais nada!!!!!!!!!!!!!

18/06/2009

"Louros/as

A Burrice tem limites e acho que este Senhor ou Senhora passou todos eles, e teve tanta sorte que foi logo com a Policia é o que se chama o cumulo do azar!!!



video

05/06/2009

Manual de sobrevivência para professores

Apesar de ter dito que iria encerrar este espaço não queria deixar de partilhar este mail que recebi e onde no final tem um comentário de uma Professora do ensino Especial e também ela deficiente.
"Professores: o manual mais pequeno do mundo sobre sobrevivência profissional.

1. Não queira salvar o Mundo.
O Mundo não tem salvação. Os humanos têm tratado tão mal a mãe natureza que ela vai agradecer quando os humanos derem cabo de si próprios.
2. Não entre na escola com a ideia peregrina de que a sua missão é salvar crianças e adolescentes.
Há muitas crianças e jovens que não têm salvação. Quando chegam à escola já estão perdidas. Não se sinta culpado pela perdição dos outros. As culpas da perdição têm de ser distribuídas pelos políticos e pelos pais. Os primeiros porque não sabem governar o país; apenas sabem governar-se. Os segundos porque colocam o amor próprio e os interesses pessoais à frente dos interesses dos filhos. E vai daí, passam a vida a fazer asneiras.

3. Se vir uma criança com fome, compre-lhe uma sanduíche.
Mas não tenha a pretensão de querer resolver o problema da pobreza.

4. Não fale nas aulas sobre sexo e política.
Concentre-se nas suas matérias e lembre-se de que ensinar bem é a coisa que melhor pode fazer para ajudar as crianças e os jovens a serem bem sucedidos.

5. Não queira ser engraçado nas aulas nem queira passar por humorista.
Lembre-se de que está a falar para 25 alunos que têm telemóveis com câmara fotográfica e gravadores de áudio e vídeo.

6. Não queira fazer-se passar por irmão mais velho, amigo, pai ou mãe dos alunos.
Seja simplesmente professor: um profissional com elevada competência técnica e científica que é pago para ensinar. Quando se ensina bem, está-se a educar. A educação é uma camada que se sobrepõe à instrução. A sua tarefa principal é instruir. A educação vem por acréscimo. É um bónus.

7. Não fale sobre a vida privada com os alunos.
Lembre-se de que você não é pai nem mãe deles. Tão pouco é irmão. Nem sequer é um amigo. Você é um profissional.

8. Não queira entrar na intimidade dos seus alunos.
Ouça-os quando eles se dirigem a si para falar sobre os problemas pessoais, mas ouça apenas. Não diga nada. Se for caso disso, encaminhe-os para o psicólogo escolar. Se for assunto que possa ser tratado pela escola, mande-os falar com o director de turma.

9. Guarde a ternura para os seus filhos.
Não caia na tentação de consolar as crianças e os jovens com carícias, ainda que inocentes. Seja cuidadoso. Há crianças e jovens que fazem uso da maldade pura.

10. Cuidado com as conversas com os pais.
Trinque a língua antes de falar. Diga só o que for realmente necessário. Limite-se à descrição dos factos. Poupe nos adjectivos. Não faça juízos de valor. Nunca tenha a pretensão de pensar que os pais dos alunos são seus amigos. E nunca tome o partido dos pais contra os seus colegas. Lembre-se de que os pais passam, mas os seus colegas vão estar ao seu lado durante pelo menos 40 anos. "

Comentário pessoal:É suposto isto ser humor... infelizmente eu nunca soube ser assim...por isso aqui estou, sem resolução para o meu problema de acidente em serviço...mas infelizmente, esta é a realidade que o governo quer que seja...

01/06/2009

Assim vai a nossa Educação

Tem tanto de cómico como de triste vermos Futuros "Doutores" a darem respostas destas se ainda fosse na Primária ou vá lá no Secundário ainda se poderia admitir agora já na Faculdade e em provas que se calhar muitas delas já em final de curso ou seja depois de andarem já a 14 ou 15 anos a estudar é triste e preocupante ver o estado em que esta a nossa Educação tanto a nível de alunos como que professores tiveram estes alunos para darem estas respostas bem como a terceira parte que muitas vezes é esquecida que é a dos Pais que deveriam de uma vez por outra sondar o nível de aprendizagem dos filhos.


Oral da cadeira de Anatomia do curso de medicina
Prof: Descreva o fígado.
Aluno: Os fígados...
Prof: Os fígados??!! Quantos são?
Aluno: Dois. Direito e esquerdo!
Oral da cadeira de psicologia do curso de medicina
- Onde se localiza o centro de inteligência...? (área do córtex cerebral)
- Nos Estados Unidos da América.
Curso de Segurança Social, numa universidade privada lisboeta.
- Diga-me lá porque é que a taxa de natalidade é menor nos países desenvolvidos.
- Porque se trabalha mais do que nos países subdesenvolvidos.
- Ai sim?
- E tem-se menos tempo.
- Menos tempo para quê?
- (o aluno, hesitante e já embaraçado) Menos tempo para fazer amor.
Oral na Faculdade de Medicina de Coimbra
- Minha senhora, diga-me, por favor, qual é o órgão do corpo humano que dilata até sete vezes o seu tamanho normal. A aluna retorce-se, transpira, cora indecentemente. Decide mesmo recusar-se a responder à pergunta. Numa sucessão de respostas infelizes a outras questões, acaba por chumbar. Na oral imediatamente seguinte, o professor resolve insistir na pergunta.
- Minha senhora, qual é o órgão do corpo humano que dilata até sete vezes o seu tamanho normal?
- (a aluna, respondendo prontamente) É a íris, senhor professor.
- (O examinador, com um sorriso largo) Por favor, diga à sua colega que vai ter muitas desilusões ao longo da vida.
Exame numa universidade privada, em Lisboa
- Dê-me um exemplo de um mito religioso.
- Um mito religioso? Sancho Pança.
(estupefacto, o professor pede ao aluno para este escrever o que acabou de dizer. O aluno escreve no papel: "S. Xupanssa").
Prova oral da cadeira de Direito Constitucional, numa Universidade privada de Lisboa.
- O que aconteceu no 25 de Abril foi o início do regime autoritário salazarista. Mas quem subiu ao poder foi o presidente do então PSD, Álvaro Cunhal, que viria a falecer em circunstâncias misteriosas no acidente de Camarate.
- Quais são as batalhas mais importantes da história portuguesa?
- Antes de mais, senhor doutor, a batalha de Alves Barrota.
O exame terminou aqui.
Num instituto superior da capital, 1º ano de Relações Internacionais.
A cadeira é Ciência Política. O professor é um distinto deputado à Assembleia da República. A aluna, com rara convicção, explica ao examinador tudo o que se passou no 25 de Abril de 1974: "A revolução de 74 significou a queda de um regime militar dominado pelo almirante Américo Tomás e pelo marechal Marcelo Caetano, que governava o país depois de deposto o último rei de Portugal, Oliveira Salazar. O 25 de Abril foi uma guerra entre dois marechais: o marechal Spínola e o marechal Caetano". Obviamente, chumbou.
Outra versão, ainda mais criativa, desta vez numa Universidade privada de Lisboa, no 3ºano de Relações Internacionais.
- Descreva-me brevemente o que foi o 25 de Abril de 1974.
- Foi um golpe levado a cabo pelos militares, liderados por Salazar, contra Marcelino Caetano.
- (o professor, já disposto a divertir-se) E como enquadra o processo de descolonização nesse contexto?
- Bem, a guerra em África acabou quando Sá Carneiro, que, entretanto subiu ao poder, assinou a paz com os líderes negros moderados. Foi por causa disso que ele e esses líderes morreram todos em Camarate.
- Já agora, pode dizer-me quem era o presidente da República Portuguesa antes de 1974?
- Samora Machel.
Conta quem assistiu à oral que o professor quase agrediu a aluna.
Uma professora de Direito Constitucional numa universidade privada do Porto questiona o aluno sobre a Constituição de 1933. Esta consagra a impossibilidade de os descendentes da casa de Bragança se candidatarem à presidência da República.
- "Diga-me lá porque é que D. Duarte, segundo a Constituição portuguesa de 1933, não poderia candidatar-se à presidência da república?".
- "Porque ele é actualmente o presidente português".
Noutra resposta à mesma pergunta, que esta professora recebeu:
- "Porque vivemos num sistema monárquico".
Numa outra prova oral de Direito Constitucional, o examinador pergunta ao aluno:
- Quem substitui o presidente Jorge Sampaio em caso de impossibilidade temporária deste?
- A mulher dele, a Maria José Ritta.
Uma universidade privada em Lisboa, 1997. A correcção manda que se diga que "as leis são emanadas pela Assembleia da República".
Discorrendo sobre o processo legislativo, um aluno responde que "as leis vêm em manadas da Assembleia da República".
1º e 2º ano do curso de Relações Internacionais, numa universidade privada de Lisboa. 1988/1996. Algumas preciosidades.
- Quem é o actual presidente dos Estados Unidos?
- O Perez Troika.
- Paris é a capital de que país?
- Bruxelas.
- Quando foi a Revolução Liberal em Portugal?
- Em 1640.
- Diga-me, por favor, o que é a Nato.
- É a Organização do Tratado do Atlântico Norte.
- E a OTAN?
- (o examinado, depois de pensar demoradamente) Bem, aí a doutrina divide-se.
- Então diga-me lá qual era o nome próprio de Hitler?
- Heil.
- Minha senhora, em que época histórica situa Adolfo Hitler?
- No século XVIII, senhor professor.
- Tem a certeza?
- Não! Desculpe. No século XVII.
- Quem foi o grande impulsionador do nazismo?
- (o aluno, rápido e incisivo) O Fura João Hitler.
- O "Fura".
- Sim. É a designação hierárquica de Hitler.

Numa outra oral. Cadeira de História das Ideias Políticas e Sociais.
- Qual é a obra de fundo de Adolfo Hitler?
- É a Bíblia alemã.
- Pode dizer-me o que é um genocídio?
- É a morte dos genes.
- Como?
- É a morte dos genes e dos fetos.
Cadeira de Direito Internacional Público, uma universidade privada do Porto.
O professor, desesperado com a vacuidade das respostas de certo aluno em orais da especialidade, resolve tentar ajudar, recorrendo à geografia. Questionado sobre a localização da Escandinávia, o aluno responde que fica algures na Ásia. O examinador, rendido, brinca agora.
- Podemos então passar a chamar-lhe Escandinásia.
- Se calhar, senhor doutor.
- Não sabe que a Escandinávia fica na Europa?
- Pois é, tem razão!
- E fica a Norte ou a Sul?
- A sul.
- E sabe apontar-me alguma característica dos escandinavos?
- (o aluno, depois de longa pausa) Bem, eu acho que eles não são pretos